Produtores dos EUA enfrentarão dificuldades durante a colheita

Nova regra para visto de trabalho pode impedir que mexicanos participem da colheita de frutas e legumes; produtores estão preocupados

Os produtores de frutas e legumes dos Estados Unidos estão se preparando para dificuldades que devem enfrentar com a falta de trabalhadores. Isso porque o governo está suspendendo as entrevistas de vistos no México para reduzir a propagação do coronavírus.

Tire todas as suas dúvidas sobre o coronavírus no R7 -

O momento de aplicação das restrições para trabalhadores imigrantes coincide com os americanos esvaziando os supermercados para se preparar para uma possível quarentena.

Nesta quarta-feira (18), nenhum novo pedido será processado para o programa de trabalhadores convidados H2A e somente trabalhadores temporários poderão entrar no país, disseram produtores americanos.

O Departamento de Estado limitou a análise de vistos em muitos países para tentar tentam reduzir o contato e conter a disseminação da doença respiratória altamente contagiosa. Na segunda-feira à noite, os Estados Unidos anunciaram restrições ao México.

Embora a colheita de grãos como trigo e milho seja bastante automatizada nos Estados Unidos, os produtores de frutas e legumes contam com trabalhadores sazonais convidados para colher suas colheitas.

“Quando o processo para no meio do caminho, é provável que essas pessoas não estejam lá exatamente quando necessário, se é que vão chegar. Isso significa colheitas perdidas. Isso significa desperdício de alimentos ”, disse Dave Puglia, presidente da Western Growers Association, que representa produtores de frutas e vegetais em estados como Califórnia e Arizona.

“Cada vez mais, simplesmente não temos a força de trabalho nacional. Estamos voltando cada vez mais para os trabalhadores da H2A, porque não há outra maneira de colher e embalar nossas colheitas e entregá-las aos consumidores ", disse ele.

Em 2019, mais de 77.000 vistos H2A foram certificados em março e abril, quase 28% de todos os vistos H2A no ano passado, de acordo com dados do Departamento do Trabalho dos EUA.

Comentários